quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Bagagem - Questões


QUESTÕES PARA REFLETIR BAGAGEM de Adélia Prado

01. Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S) com relação às obras Bagagem, de Adélia Prado.

( ) Em Bagagem, a autora explora temas do cotidiano e, em muitos de seus poemas, homenageia autores como Carlos Drummond de Andrade, utilizando, principalmente, a intertextualidade.
(   ) Apesar de tratar de temas que envolvem o cotidiano, Adélia Prado, em Bagagem, preferiu não abordar a religião, pois, segundo ela, “cada um tem o direito de acreditar no que quiser”.
(   ) Adélia Prado, como maior representante da poética dos anos 40, na Segunda Fase Modernista, apresenta em sua obra, quanto à forma, preocupação com a métrica e a rima; e quanto à temática, referência à realidade de modo vago e impreciso
( )  Em Bagagem, seu primeiro livro de poesias, os poemas são distribuídos em quatro grandes seções. Elas se configuram segundo um variado mapa existencial, que se divide entre as coordenadas da “poesia”, do “amor” e da “memória”, além daquela “alfândega”, de sentido escorregadio, mas sugestivo.
(  ) Pode-se destacar na escrita de Adélia fortes imagens do cotidiano doméstico, procurando neste um sentido mais profundo, dando-lhe, assim, um espiritualismo místico. Adélia é  sobretudo contemplativa em seu dizer poético.

02. Analise as afirmativas sobre a obra Bagagem, de Adélia Prado:

I - A linguagem intertextual, intimista, mística, feminista e pessimista está presente em sua obra desde a estréia, em 1976, com Bagagem.
II - A mineira Adélia Prado, apontada como "narradora e poeta de veia drummondiana, de respiro universal e tentação metapoética, com umas incursões muito femininas nos campos irônicos do absurdo".
III - Pode-se afirmar que Com licença poética é uma paródia do Poema de sete faces, de Carlos Drummond de Andrade. O diálogo explícito com Drummond ocorre nos três versos iniciais: “Quando nasci um anjo esbelto,/ desses que tocam trombeta, anunciou:/ vai carregar bandeira.” Nos versos mediais, a oposição a Drummond é mais implícita, já que esse espaço é reservado para os múltiplos desdobramentos" da personagem adeliana.
IV - Poema de sete faces, predominantemente pessimista, é transformado por Adélia Prado numa ode à mulher, que aceita "os subterfúgios que [lhe] cabem,/ sem precisar mentir". A mulher fortifica-se pelo fato de ser desdobrável, ao contrário do homem do Poema de sete faces que acaba preferindo embebedar-se a enfrentar os obstáculos impostos pela vida.
V- Ela pede licença para introduzir-se no universo da literatura e inverter o sentido de vários elementos do Poema de sete faces. O anjo torto de Drummond torna-se esbelto no poema de Adélia Prado, já não mais vive na sombra, agora toca trombeta, deixando de anunciar que alguém será gauche na vida, mas, ao contrário, vai carregar bandeira, ter uma posição de destaque. Por sinal, existe a semelhança sonora da palavra gauche, de Drummond, ressoando na escolha de Adélia Prado por coxo.

Estão corretas as afirmativas:

(A) I, II, III, IV e V.
(B) I, III e V somente.
(C) II, IV e V somente.
(D) I, II e III somente.
(E) II, III, IV e V somente

Enredo para um tema

Ele me amava, mas não tinha dote,
só os cabelos pretíssimos e uma beleza
de príncipe de estórias encantadas.
Não tem importância, falou a meu pai,
se é só por isto, espere.
Foi-se com uma bandeira
e ajuntou ouro pra me comprar três vezes.
Na volta me achou casada com D. Cristóvão.
Estimo que sejam felizes, disse.
O melhor do amor é sua memória, disse meu pai.
Demoraste tanto, que...disse D. Cristóvão.
Só eu não disse nada,
nem antes, nem depois.
(Adélia Prado: Bagagem.)

03. Assinale a alternativa incorreta, em relação ao texto.

a) Em Bagagem, seu livro de estréia, a poeta apresenta poemas imbuídos de religiosidade, fruto de sua vivência familiar.
b) As falas masculinas (do pretendente, de D. Cristóvão e do pai) representam poder patriarcal.
c) Com o poema Adélia critica o silêncio a que são submetidas muitas mulheres, uma abordagem constante em sua obra.
d) Mesmo para uma poesia a linguagem está incorreta, pois desrespeita a norma gramatical, como se observa no excesso de repetições, em apenas 13 curtos versos, de só e disse.
e) O poema apresenta um misto de fantasia e conformismo.

Leia o texto a seguir:

Encontrei meu marido às três horas da tarde
Com uma loura oxidada.
Tomavam um guaraná e riam, os desavergonhados.
Ataquei-os por trás com mão e palavras
Que nunca suspeitei conhecer
Voaram três dentes e gritei, esmurrei-os e gritei,
Gritei meu urro, a torrente de impropérios.
Ajuntou gente, escureceu o sol,
A poeira adensou como cortina.
Ele me pegava nos braços,
nas pernas, na cintura,
Sem me reter, peixe-piranha, bicho pior,
fêmea ofendida, uivava.
Gritei, gritei, gritei até a cratera exaurir-se.
Quando não pude mais, fiquei rígida,
As mãos na garganta dele, nós dois petrificados,
Eu sem tocar o chão. Quando abri os olhos,
As mulheres abriam alas, me tocando, me pedindo graças.
Desde então, faço milagres.
PRADO, Adélia. Bagagem. Rio de Janeiro: Record, 2007

04. Sobre o texto acima, é correto afirmar que:

a) é uma referência ao silêncio das mulheres que, submissas, calam-se à espera do príncipe encantado.
b) no verso “Sem me reter, peixe-piranha, bicho pior, fêmea ofendida, uivava”, há uma comparação entre um peixe carnívoro e voraz e um lobo.
c) por meio da metáfora peixe-piranha, a poeta critica as mulheres que se prostituem, ou roubam o marido das mulheres casadas.
d) é um poema por meio do qual o eu-lírico de Adélia Prado divaga sobre a sexualidade, a fé, o amor e a simplicidade

Casamento
Adélia Prado

Há mulheres que dizem:
Meu marido, se quiser pescar, pesque,
mas que limpe os peixes.
Eu não. A qualquer hora da noite me levanto,
ajudo a escamar, abrir, retalhar e salgar.
É tão bom, só a gente sozinhos na cozinha,
de vez em quando os cotovelos se esbarram
ele fala coisas como ‘este foi difícil’,
‘prateou no ar dando rabanadas’
e faz o gesto com a mão.
O silêncio de quando nos vimos a primeira vez
atravessa a cozinha como um rio profundo.
Por fim, os peixes na travessa,
vamos dormir.
Coisas prateadas espocam:
somos noivo e noiva

05. Em relação ao texto, analise as proposições abaixo. Como se vê no poema,

I. A idéia da vida a dois, pelo casamento, longe de significar apenas amarras ou prisão, pode também significar liberdade, quando a mulher opta por viver presa a um modelo de relação que, embora interpretado como negativo, toma-o como suporte para a sua felicidade.
II. A idéia da vida a dois, pelo casamento, longe de significar liberdade, situa a mulher apenas numa relação de sujeitamento, de subordinação ao marido, fato que pode ser visto no poema
transcrito, em que o discurso masculinista situa a mulher relacionada aos afazeres domésticos ou à vida de continuação dos valores patriarcais.
III. A idéia de que a vida a dois só é possível numa igualdade entre o homem e a mulher é o tema central do poema transcrito, que discute essa questão, apontando homem e mulher como detentores de direitos iguais, como revela o último verso: “somos noivo e noiva”, demonstrando a não diferenciação de atividades entre os envolvidos na relação.

a) Apenas III é correta
d) Todas são corretas
b) Apenas II é correta
e) Nenhuma é correta
c) Apenas I é correta

Ao entardecer no mato, a casa entre
bananeiras, pés de manjericão e cravo-santo,
aparece dourada. Dentro dela, agachados,
na porta da rua, sentados no fogão, ou aí mesmo,
rápidos como se fossem ao Êxodo, comem
feijão com arroz, taioba, ora-pro-nobis,
muitas vezes abóbora.
Depois, café na canequinha e pito.
O que um homem precisa pra falar,
entre enxada e sono: Louvado seja Deus!
PRADO, Adélia. Bucólica nostálgica. Bagagem.

06. Tem comprovação no texto a
01) concepção fatalista de vida.
02) denúncia de uma realidade social carente.
03) oposição entre as ambiências urbana e campesina.
04) valorização da simplicidade e do despojamento diante da vida como fruto da vontade divina.
05) busca de explicação no divino para as contradições terrenas.

07. A estética modernista faz-se presente no texto através
01) do rebuscamento formal.
02) do lirismo extraído de situações incomuns.
03) da adoção do ritmo da prosa na poesia.
04) do tratamento crítico-irônico dado ao tema.
05) das freqüentes transgressões à língua-padrão

GRANDE DESEJO
Adélia Prado

Não sou matrona, mãe dos Gracos, Cornélia*,
sou mulher do povo, mãe de filhos, Adélia.
Faço comida e como.
Aos domingos bato o osso no prato pra chamar cachorro
e atiro os restos.
Quando dói, grito ai.
quando é bom, fico bruta,
as sensibilidades sem governo.
Mas tenho meus prantos,
claridades atrás do meu estômago humilde
e fortíssima voz pra cânticos de festa.
Quando escrever o livro com o meu nome
e o nome que eu vou pôr nele, vou com ele a uma igreja,
a uma lápide, a um descampado,
para chorar, chorar, e chorar,
requintada e esquisita como uma dama.

Obs.: *Cornélia era mãe de Tibério e Caio, que propuseram a 1ª reforma agrária de Roma e, por isso, foram condenados à morte, sendo defendidos vigorosamente pela mãe. Adélia é nome germânico e significa nobre.

09. Assinale a alternativa que não se justifica pelo texto.
a) Para a poeta, chorar revela algo ao mesmo tempo excêntrico e elegante.
b) As expressões mulher do povo e mãe de filhos remetem à idéia de mulher simples, comum, em oposição à idéia de mulher burguesa, de Não sou matrona.
c) A expressão tenho meus prantos indica o quanto a poeta vive chorando, por causa de suas sensibilidades sem governo.
d) Os últimos quatro versos revelam traços da religiosidade que permeia a obra da poeta.
e) O poema revela o quanto Adélia reprime sua dor, apesar de às vezes chorar.

10. Assinale a alternativa incorreta.
a) No oitavo verso, a expressão sem governo corresponde a desgovernadas.
b) A linguagem do poema tem traços de linguagem coloquial.
c) A idéia contida na expressão meu estômago humilde se opõe à de voz pra cânticos de festa.
d) Em Quando escrever o livro com o meu nome / e o nome que eu vou pôr nele a poeta remete à idéia da importância de a autora levar sua obra ao público.
e) As expressões Faço comida e como. / Aos domingos bato o osso no prato pra chamar cachorro / e atiro os restos revelam atos corriqueiros da vida da poeta.

11. Assinale a alternativa que incorreta.
a) Na expressão e atiro os restos, o substantivo reflete idéia de menosprezo, pouco caso.
b) Se em quando é bom, fico bruta há idéia de gradação, em vou com ele a uma igreja, / a uma lápide, a um descampado, a idéia é de contradição.
c) As expressões mãe dos Gracos e mãe de filhos correspondem a aposto.
d) Em vou com ele a uma igreja o pronome ele refere-se ao livro que a poeta pretende escrever.
e) No verso 8, sensibilidades corresponde a emoções, sentimentos

9 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. olá..muito boa as questões,como faço para ter o gabarito?
    desde já agradeço...

    ResponderExcluir
  3. Favor me enviar o gabarito: sarahvilela@gmail.com OBRIGADA

    ResponderExcluir
  4. Favor me enviar o gabarito: sarahvilela@gmail.com OBRIGADA

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. favor mandar o gabarito no email mirianmineiros@gmail.com

    ResponderExcluir